O PSD de Ponte da Barca acusou o anterior executivo socialista da responsabilidade na queda do Município de Ponte da Barca no Índice de Transparência Municipal, passando do 8º lugar para o 225º lugar nacional.

Em comunicado, o partido liderado por José Alfredo Oliveira explica que “no passado mês de abril foram publicados os resultados da avaliação do Índice de Transparência Municipal relativos o ano de 2017, organismo que avalia o grau de transparência dos municípios através de uma análise e avaliação da informação disponibilizada aos cidadãos nos websites das Câmaras Municipais, sendo que esta avaliação é levada a cabo com base em critérios previamente publicados e tutelada por personalidades do meio académico das universidades portuguesas de reconhecido mérito.”

Pode ainda ler-se que esta descida no ranking aconteceu devido a “uma decisão irracional do anterior executivo socialista e que em muito prejudicou o concelho de Ponte da Barca”. O partido social democrata ainda ainda que “perante este resultado desastroso, importa esclarecer cabalmente os barquenses das razões subjacentes a esta queda e que reside na decisão exclusiva do anterior executivo ter publicado sorrateiramente um novo site a 13 de outubro de 2017, precisamente no último dia útil de mandato autárquico uma vez que o novo executivo tomou posse em 15 de outubro de 2017.”

Para o partido actualmente na liderança da autarquia barquense esta decisão “condenável e levada a cabo à pressa e sem precaver a publicação de todos os dados que se constituíam como requisitos mínimos a 13 de outubro”, acresce ainda o “facto de a avaliação dos sites ter lugar precisamente durante o período de 1 de junho a 31 outubro de 2017, sendo que ainda durante o ano de 2017, ainda com a anterior versão do portal da autarquia em funcionamento, não foi efetuada qualquer atualização dos dados considerados para a avaliação do ITM 2017. Ou seja, além do novo site não cumprir com os requisitos mínimos exigidos pelo ITM, a quase nenhuma informação colocada no novo site estava desatualizada, pois dada a pressa de lançar o site fez com que não existisse a atenção necessária para a atualização de informação, impossibilitando o novo executivo de tomar em mãos a decisão de publicar um novo site do município barquense, restando-lhe apenas a de oportunidade menorizar o desastre nos dez dias de contraditório exercido e que resultou na introdução de informações essenciais para acautelar uma queda que poderia ter sido ainda maior.”

 

Categorias: Noticias