O músico arcuense Delfim Júnior, reagiu, em comunicado, ao assalto que foi alvo na madrugada de domingo, na sua casa, dizendo que lhe foi roubada “uma quantia significativa em dinheiro, que era o pecúlio acumulado ao longo de mais de 25 anos de trabalho árduo”.

No referido comunicado, o criado do Ymperio Show, não confirma o valor inicialmente avançado de 230 mil euros, mas admite que foi roubado ouro da sua esposa “com um alto valor sentimental, já que muito tinha sido herdado”, e que “foram ainda roubadas várias peças do guarda-roupa pessoal e profissional”. Assumindo estar a viver “momentos muito difíceis de superar porque invadiram o espaço mais sagrado” das suas vidas, Delfim Júnior reitera que lhe “levaram dinheiro conquistado com muito trabalho e sacrifício”.

O cantor de Arcos de Valdevez desmentiu ainda “categoricamente que tenha havido qualquer sequestro, ou tentativa ilegal de obtenção de alguma informação acerca do crime ocorrido”, depois de, anteontem, um operário de construção civil que estava a trabalhar na sua casa o ter acusado de “sequestro, ameaças e agressões” por suspeitar que estaria envolvido no assalto. Por agora o cantor arcuense assume que acredita “na justiça e no seu tempo, tendo por isso apresentado a respectiva queixa-crime. E outras faremos caso se venham a justificar, apenas lamentando-se que imediatamente após esse momento o assunto tenha assumido repercussões mediáticas impensáveis e que nos são prejudiciais”, pode ainda ler-se.

Delfim Júnior garantiu que é “um empresário, escrupuloso cumpridor de todas as obrigações legais e fiscais, nada tendo a recear e a esconder” e, num tom de lamento, reitera que “a vida de um artista vai além do que o público vê” com “sacrifícios diários que obrigam a esforços impensáveis”. Explica que “a maioria das pessoas não tem noção do trabalho árduo de muitos anos”, numa “vida feita na estrada” onde é “motorista, carregador, relações públicas e músico de mais de sete instrumentos e criador de vários temas originais”.

Categorias: Noticias